terça-feira, 26 de agosto de 2014

Muito além da poesia

Literatura ostentação. Ostento com orgulho, sim! 

Nivaldo olhou pra mim como quem tentava me desvendar quando o intimei a vir pra perto e ao ouvir meu pedido questionou em tom de (quase) surpresa: mai tu vai querer é os três memo?
Na hora apenas sorri e concordei, fiz alguma piada dizendo que ia acabar com meu dinheiro ali, sem comprar livro de mais ninguém, só dele e tal. E era verdade. Mas faltou dizer mais coisa.

Ni querido, QUERER teus livros já tem tempo que eu quero, e tu sabe. Mas, xavequeira que sou, prefiro pegar nas mãos do poeta (ou então apenas lembre que se eu for pagar o frete de todos livros que eu quero eu gasto o um dinheiro que podia usar pra comprar mais livros).
Não que eu precise dos teus livros pra te ler, óbvio, mas é um jeito de te trazer pra casa. E hoje, você vai dormir comigOOPA, alguem disse algo? Engasguei aqui. Haha

Você faz parte da minha vida muito mais do que imagina, apesar de eu sempre dizer, e toma conta da minha mente com versos simples e certeiros e enche meu coração até sem perceber.
Me inspiro e transbordo tantas vezes que se poesia matasse sede eu salvava a crise da agua no estado com ajuda tua.
Sério, não me lembro de ficar uma semana inteira sem citar algo seu há muito tempo, e cito porque não cabe mais dentro de mim tanto amor, tenho que por pra fora e multiplicar.

Rapaz, cê num pediu licença pra me invadir assim e quando vi já tava dentro da minha mente e hoje, após uma das paradas poéticas mais lindas e cheias de amor, foi tu que faturou mas eu que saí ganhando, com a mente cheia e o coração transbordando.

Obrigada por isso e por tanto mais que você faz.

Mais me vale ostentar esses livros do que ter dinheiro no bolso, sim. Dinheiro vai embora, mas poesia não dá pra roubarem de mim.

Com todo o carinho possível e diversos tipos de amor, um beijo e um xêro.

Guarde com carinho tudo o que te disse.

Foi importante viver hoje!

(Texto extraído do Facebook da amiga/leitora Julia Rocha )