domingo, 23 de novembro de 2014

algodão de fogo

mandaram-me convites para a revolução
e disseram que dessa vez será outra história:
se houver sangue derramado,
ainda que seja dos nossos, não será da gente.

mandaram-me convites para a revolução
e disseram que não há o que temer:
o povo será nossa causa, princípio e meio
mas nada foi dito sobre os fins.

sei que preparam a revolução
com bandeiras de todas as cores,
exceto com a do inimigo, é claro.
Enviaram-me tabela com 101 dicas para matar
mas nenhum conselho sobre como voltar com vida.

mandaram-me convites
mas disseram que não poderei levar meu bem

então
fiquei na rua
e por aqui perdi muito
e já não recebo convites
e nem sei dizer se a tal revolução aconteceu

sei que trago meu amor aqui comigo.


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Agenda

Sexta (21/11)
16h - Intervenção/sarau com poetas no Projeto Praga
Endereço: Viaduto Santa Ifigênia (mais informações aqui)
20h - Intervenção/sarau com poetas do Sarau Suburbano Convicto na Balada Literária
Endereço: Centro Cultural b_arco: rua Dr. Virgilio de Carvalho Pinto, 426 - Pinheiros (Mais informações aqui)

Sábado (22/11)
16h - Encerramento da exposição Janela da alma
Endereço: True Love Tattoo: R: São Miguel, 86 (Mais informações aqui)

Domingo (23/11)
19h30 - Debate "Mercado Editorial" no 1º Congresso de Escritores da Periferia de São Paulo
Endereço: Fábrica de Cultura São Luís: R. Antônio Ramos Rosa, 651 (Mais informações aqui)

Do dia 24 a 30/11 estarei na minha cidade natal, Acajutiba/BA.

Do dia 1 a 3/12 estarei em Salvador/BA conhecendo alguns projetos culturais.

Quinta (4/12)
19h30 - Lançamento do livro "Se eu tivesse meu próprio dicionário" no Sarau Sobrenome Liberdade
Endereço: Rua Manoel de Lima, 178

Sábado (6/12)
16h - Festival Malungo: debate "Por uma Pedagogia Antirracista"
Endereço: Cedeca Interlagos: R. Ns. de Nazaré, Cidade Dutra

Obs. Levarei livros (meus e de outros autores) para venda em todas essas ocasiões. 







terça-feira, 18 de novembro de 2014

lâmina lápis

ao seu lado 
sei
como sentem-se as roupas
em contato com o amaciante

a vida passa melhor.


Foto: Arley Cunha

domingo, 16 de novembro de 2014

dez com fiados

sinto que tô velho 
toda vez
que vejo alguém
pedindo patente
pelas invenções da roda
do amor
do vermelho
e dessa tal revolução (que nunca vi).



sábado, 15 de novembro de 2014

Convite

Dia 11/12 nascerá um livro bem especial. Filhote dos meus amigos/professores/jornalistas Jamil Alves e Regina Rocha, O saber que transforma conta um pouco da história de jovens que mudaram suas vidas a partir do contato com a educação (formal ou não). São relatos captados com muita sensibilidade e carinho. Fascinante. Tive a honra de participar desse trabalho e gostaria de convidá-los a comparecer no lançamento. Serão todos muito bem-vindos!
Aqui as informações:


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Contos diversos IX

Inspirada em abismos
Tatiana caça no céu
saída 
para seu vício
de rastejar em oceanos de lábios alheios.
*
depois de derrubar tantos reis
Quesia entendeu:
o mal mora na monarquia.
coroa é um grilhão de luxo
que não permite a leveza de um cafuné.
*

Ariane sabe:
isso de doar-se inaugura sinas
habitats e longevidades na gente.
*

não tem a ver com futebol
o drible de Sandriele:
sua descoberta é o improviso
feito primeiro beijo de náufrago
a surpresa de sua alegria 
mora onde tudo mais se esconde.
*

em cada canção que dança
Raquel constrói um alicerce
assim
as notas musicais ditam os passos
para um telhado inédito
entre castelos 
e casas de palitos de picolé.
*


Suéllen deixa redações pela metade 
larga discos e gibis... 
piadas e poemas sem arremate 
assim
vê mais beleza nas coisas assim.
*

o reino de Isis é a revolução:
para alguns, ela mora num sonho
mas na prática
ela vive em tudo
- capaz de ser criança.
*

Vanusa já tentou organizar a vida
por ordem alfabética, cores,
tamanhos, cheiros, idade...
mas hoje ela divide tudo
entre:
achados e perdidos.
*

Mariana teve coleções
de postais, camisetas, livros, cds
corações.
hoje ela só acumula-
SE.

para que a vida não pese
tanto
Luci trocou o algodão doce 
da sobremesa
por cócegas no estômago.
não tem a ver com dieta
é tudo questão degustar.
(do livro Para Brisa)

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

de tênis no mangue

já é de costume
morder a bolacha inteira
apenas para encontrar o recheio

ouvir aquela canção umas mil x
só esperando pela parte 
que fala dos olhos castanhos

beber cerveja, vinho, pinga
e catuaba
com vontade de tomar chuva de bolinhos

te dedicar o último pensamento do dia
só pra ver
se te encontro novamente
nos meus sonhos - se houver.


(Foto: Samantha Montes)

terça-feira, 11 de novembro de 2014

peão de obras

entrar no fim do 2º tempo
nome nunca consta na escalação
mas já é comum
cobrar escanteio
correr pra cabecear

e

fazer poesia é um exercício de guerra
escrever poesia é um drible no escuro

gol é mais que meta
é obrigação

ainda assim

sobre conquistas sei dizer pouco
o verdadeiro desafio é não desistir


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

anatomia do despejo

nem tudo que reflete
é espelho
óculos escuros
não protegem a vista
de primeiro olhar
se ex
correr

amar
go
textura hostil

cuidado com quem não desejas

guardadas as dúvidas
duas antíteses
células tombos
dolly guaraná ou velha?
como se fala seu riso em latim?

adeus é mais

dê meia nota
apague a canção do vaso
lâmpada não ilumina ideias
só pinga

às vezes te amo
por quase dois beijos
e um milhão de realidades


qual seu ramone predileto?

domingo, 9 de novembro de 2014

VAMOS LIVRAR

Começa hoje a pré-venda do meu novo livro. O menor minidicionário das galáxias tem 78 poemas curtíssimos, que pretendem o lindo absurdo que é mudar o significado das palavras e do mundo (por que não?)
Se você se identifica com o que eu escrevo e quer fortalecer essa caminhada, adquira o livro na pré-venda. Como sempre, a publicação é independente e custa baratin: 14,99 dinheiros. E quem comprar agora ainda receberá um mimo exclusivo. A entrega/postagem será feita até o dia 24/11. 
Gratidão e vamos juntos!
O livro está disponível no site LiteraRua: http://www.literarua.vitrinapro.com.br/se-eu-tivesse-meu-proprio-dicionario-pre-venda


sábado, 8 de novembro de 2014

arma desamor

queria acreditar novamente
no poder esplêndido dos ioiôs
na magia dos bumerangues
na convicção do eterno retorno
na mística infalível da reencarnação
no rolê bate-volta
invariavelmente

eu queria acreditar
em você


mas contrariando a lógica das armas
a gente se distancia 

e
assim
aumenta o poder de destruição

longe
mata 

mais
(Foto: Marcio Salata)

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

de dia

mar
nunca foi lugar para alcançar o chão

fácil rimar
raro amor

perdão
nunca foi demais
desde que
amém

gente é um só
no plural

diga
a senha é seta
e aponta pra qual portal?

o que te cobre
além
das nuvens
do provedor
é sal?


atire-se
alvo mira
o olho do cu do cão

respire
no fundo
é cheiro de tal.com

utensílios
todos
são
métodos de moer
nozes
e as gentes

cadê a zica
foi tomar café?
[arte e texto: Ni Brisant]

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Anatomia da morte

talvez um dia eu fique em casa
escrevendo.
da minha poltrona 
denunciarei todas as injustiças
agitarei greves incêndios
revoluções

talvez um dia eu fique em casa
só escrevendo.
do meu jardim secreto
serei o poeta do povo
tramando contra o rei
apontarei as falhas do sistema
promoverei lutas boicotes
assassinatos – até

talvez um dia eu fique em casa
só escrevendo.
e receberei títulos
homenagens prêmios mil
e usarei troféus como decoração
e serei o representante de minha gente
e...

nesse dia

serei só um escritor.

(Foto: Laura Helena)

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Anatomia do vento*

nas veias de um abraço
descobri meu itinerário 1º
que contramão
acima do bem e do mar
o público é alvo
amor livre é um pleonasmo
antes tarde
do que amanhã

fones ilhas
histórias curtas arrastam tímpanos
e para não ser mosaico de uma peça só
construo um aeroporto em cada queda
coração capaz de respirar longe do sangue

aprendi a decorar vazios
miro vikings em cada tapa-olho
estranho e joia
uma imagem vale mais que a fotografia
rua sem saída é a terra pró metida
sonho ser a cor que diz pensa legendas
gole que traz luz aos joelhos
entre achados e vencidos
o amor pertence a quem se dá.


*
texto publicado originalmente na Antologia doburro - organização:Daniel Minchoni

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Quinta tem Sobrenome Lili

Além de toda POESIA, viveremos:

✥ Abertura com set list do DjRoger Pensamento Negro;
★ Participação do MC/poeta Renan Inquérito, fotopoeta Marcio Salata e poetas da Parada Poética;
☻Pocket show da banda Kali;
✿ Intervenção da poeta Gabrieli Amadio;
♝ Varal e projeção de fotopoesias de diversos artistas; 
★ Distribuição de postais do Projeto Praga
✥ Amigo Poeta: Escreva sua poesia preferida e dê para alguém durante o sarau. Não haverá sorteio, nem chamada. Se você receber uma poesia, escreva outra e passe adiante. Simples assim. ;) 
✥ Troca de livros.

┼ Traga seus amigos, seu amor, sua arte.
Traga o melhor de você.
E vamos celebrar!

Quando: Quinta-feira (06/11), a partir das 19h30.
É tudo nosso. É grátis!
Endereço: Relicário Rock Bar: Rua Manoel de Lima, 178

COMO CHEGAR: Se vier de trem ou ônibus, desça no Terminal Grajaú, caminhe até a Av. Teotonio Vilela, cruze essa avenida e vá até a Rua Luis Viana, depois até a Rua Rubem Souto de Araújo. Seja bem-vind@!

Curta nosso movimento https://www.facebook.com/sobrenomeliberdad
Apoio cultural: Relicário Rock Bar

♝ Esta é uma iniciativa totalmente independente (sem qualquer ajuda da iniciativa pública ou privada).